Obrigado, foi um Lucho

à(s) 00:50

quinta-feira, 2 de julho de 2009


Não para todos, mas o futebol foi, é, e há-de ser muito mais do que meras questões clubísticas. Este desporto é também uma forma de arte e se há jogador nos últimos anos em Portugal que ajudou a perceber isso foi Lucho Gonzalez, 'El Comandante'. O final de Junho trouxe-nos a notícia da sua saída para o Marselha. É uma pena, e digo-o acredito que representando adeptos de todos os quadrantes. Quando falamos do futebol de Lucho, não interessa se somos adeptos do Porto, Benfica, Sporting ou de outro qualquer clube. Interessa que somos adeptos de futebol. E gostamos de ter o melhor deste desporto bem perto de nós.

Luís Oscar Gonzalez nasceu em Janeiro de 1981 em Buenos Aires, capital da Argentina. Os primeiros passos e o epíteto de grande promessa chegaram no Huracán, pormenores que o levaram a dar o salto para um dos melhores clubes das 'pampas', o River Plate. Onde a sua qualidade veio ao de cima, de forma natural, como o seu jogo. O Porto, no início da sua virada recente para o mercado sul-americano não estava de todo desatento e resgatou o diamante dos 'milionarios'. Para quem como eu, vê Lucho (o apelido não é por acaso) como tendo sido consecutivamente o melhor jogador do nosso campeonato, esta terá sido a melhor contratação dos dragões desde a conquista da Liga dos Campeões.

Deste jogador não esperamos aquela frase 'trato a bola por tu'. Lucho Gonzalez não é propriamente atleta de grandes adornos ou de fintas mirabolantes. É na relação com a equipa, com as exigências do jogo que 'El Comandante' se destaca. Porque o percebe sempre muito bem, porque não precisa de correr kms para estar onde está a bola, porque pensa sempre um segundo (em futebol é uma eternidade) antes dos demais. O esférico sai sempre jogável dos seus pés ou não fosse fortíssimo na tomada de decisões. O passe para o avançado, a triangulação, as trocas posicionais, a recepção orientada para a baliza. Um jogador para valer 10 golos por época, aproximadamente o mesmo a nível de assistências, e incomparavelmente mais no que diz respeito à importância (ofensiva, defensiva e transicional) no jogo da equipa. Um pequeno exemplo? Relembremos o Porto x Manchester United desta época no Dragão e percebamos a diferença na equipa portuguesa antes da lesão e após a lesão de Lucho.
Uma outra nota. O fair-play, o respeito para com o adversário. Num futebol que perigosamente está cada vez mais num nível de 'encenação' e de pouca entreajuda entre colegas, tocando muitas vezes a falta de respeito, Lucho era também neste ponto um bom exemplo.

O Marselha é o próximo passo de um jogador que, prestes a completar 29 anos, já muitos esperavam que terminasse a carreira europeia no Porto. Não sei se o clube segundo classificado da Liga Francesa, mesmo em crescendo, será a melhor opção desportiva para Lucho. A verdade é que chegando a esta fase da carreira muitos jogadores pensam mais no aspecto económico. Longe de ser censurável. Não se pode é deixar de lamentar que um indivíduo como Lucho, uma qualidade futebolística como a que ostenta, provavelmente nunca vá brilhar nos melhores clubes de Inglaterra, Espanha ou Itália (como assentava bem no Inter de Mourinho...). Provavelmente essa foi também uma das razões para, mesmo com cerca de quatro dezenas de internacionalizações, nunca ter adquirido o estatuto de titular indiscutível da Selecção Argentina.

Na perspectiva económica, este foi para o Porto um bom negócio. É indesmentível. Desportivamente e a nível de balneário duvido. No campo porque a sociedade Meireles-Lucho era um dos maiores suportes da equipa, e porque não há jogador semelhante a Lucho Gonzalez ao alcance do Porto. Tal como na época passada caberá a Jesualdo, não subsitituir directamente um jogador que sai, mas perceber qual a melhor forma da equipa reagir a esta perda, alterando parcialmente o seu modelo. A nível de balneário o caso será mais complicado. Especialmente se às perdas de Pedro Emanuel e Lucho Gonzalez, se somarem as mais ou menos previsíveis de Bruno Alves ou Nuno. Seria importante para a estrutura do Porto manter estes dois jogadores. Porque perder as reconhecidamente quatro traves mestras do grupo, numa época será um duro golpe.
Ou não nos lembrássemos todos do período crítico da equipa por alturas de Outubro/Novembro e das entrevistas e dos abraços de todos os jogadores a Pedro Emanuel no final da temporada, salientando a sua importância nos sucessos da época.

5 comentários:

PedroBM disse...

Francamente, que endeusamento despropositado... Sou portista e aprecio o contributo que o Lucho fez ao longo de 4 anos, mas dai a ver uma tragedia nesta saida....

"Um jogador para valer 10 golos por epoca" - talvez, mas so se 5 ou 6 deles forem de penalti... faca la as contas a quantos golos de bola corrida ele marcou...

"A recepcao orientada para a baliza" - ?????? - passe em revista jogos do Porto e conte quantas vezes o Lucho perde a bola porque nao sabe fazer uma recepcao correcta...

"Relembremos o Porto-Manchester" - mas qual diferenca?? a unica diferenca e que com Lucho em campo sofremos um golo e podiamos ter sofrido outro... depois dele sair nao sofremos... e como nao criamos grandes hipoteses de golo antes ou depois de ele sair, nao invente...

"Pensa sempre um segundo antes" - peco-lhe outra vez que reveja os jogos... que os passes dele sao bons, sem duvida. que faz boas desmarcacoes tambem, mas achar que ele e mais rapido a pensar..., bem, talvez, o problema e que depois e cem vezes mais lento a executar....

Se a saida de Lucho permitir manter o Lisandro e prolongar-lhe o contrato, isto sera uma decisao 100% correcta !!!!

José Lemos disse...

Pedro viva!

Dizer-me que um jogador como Lucho, não sabe fazer uma recepção correcta, quando o bê-á-bá do futebol é a recepção e o passe, explica o restante texto.

Acredito que seja um dos adeptos do Porto, que 'mesmo apreciando o contributo' de Lucho, vociferava contra o argentino. Naturalmente preferirá aquele tipo de jogadores que deixam tudo em campo, promovendo um excelente espectáculo visual de sangue, suor e lágrimas. Não o censuro.

Os golos, ou a quantidade de vezes que aparece em posição de finalização é só contar. Foram em todas as épocas (contando todas as competições sempre mais do que 10) e já retirei alguns precisamente pela questão do penalty. Apesar de um penalty ser um golo, ou não nos lembremos todos dos quase 20 golos de bola parada marcados por Jardel ao serviço do Sporting, quando se sagrou Bota de Ouro Europeu.

Depois, é natural que vendo o PortoxMU na extraordinariamente simples perspectiva da estatística, a sua visão seja essa. Mas se rever o jogo, como me aconselha em relação a outros, concerteza perceberá a diferença na qualidade do jogo do Porto, a fluência e clareza de ideias antes e após da saída do argentino. Mesmo que precise de o rever 10 vezes, eu acredito.

É francamente óbvio que Lucho pensa rápido. É aliás essa uma das suas principais características. E executa rápido também. Confundir velocidade de execução com rapidez é errado. Lucho é um jogador lento, muitas vezes joga 'a passo', mas executa quase sempre mais depressa que os demais..Precisamente porque lê e percebe as circunstâncias antes do adversário. Ora reveja lá os jogos.

Quanto a Lisandro, não vejo porque é que a saída do seu amigo Lucho faça com que tenha mais vontade em ficar, antes pelo contrário.
Nem terá sido de todo essa a razão pela qual o Porto realizou o negócio.
Há algo denominado tecto salarial que o Porto certamente não descurará e que no clube ronda os 135 mil € mensais (Lucho e Rodriguez). Lisandro está nos 90 mil, e não será a diferença que lhe permitirá renovar. Penso eu...

Passe sempre.

PB disse...

sem dúvida. Lucho é fantastico.

Anónimo disse...

interessado numa troca de links ?

http://apenasesofutebol.blogs.sapo.pt/

Andre

cumprimentos

Anónimo disse...

Pedro não percebes nada de futebol... dixer k o lucho é mau jogador... os adeptos adversarios do fcp tao todos contentes por ele sai... ele era o comandante da equipa... x keria o jogo rapido ponha-o e x keria o jogo lento ponha-o... ele nao e rapido mas a sua visão de jogo fazia o jogo mais rapido... sem duvido a par de Deco o melhor jogador k passou no porto... Pedro trata t